Amyr Klink – As Janelas do Paratii

É até lugar comum dizer que algumas músicas nos lembram pessoas. Mas livros também podem ter esse poder! No caso do livro que eu escolhi hoje, em particular, não é o título ou o autor, mas o próprio exemplar (e as histórias que ele carrega) que me lembra de duas pessoas muito queridas.

A primeira lembrança é da minha prima E que me presenteou, lá nos idos de 1995, com uma coleção de quatro volumes técnicos interessantíssimos, e que me foram muito úteis à época, e mais este, que eu injustamente não dei o devido valor naquele momento –só depois de alguns anos é que eu, finalmente, tive tempo para curtir estas fotos. E que fotos!

As Janelas do Paratii é um livro de fotografias da expedição de Amyr Klink à Antartica e ao Ártico, com imagens desde dezembro de 1987 (quando o veleiro ainda estava em construção), passando pelo longo período em que o barco ficou preso no gelo do sul (no inverno de 1990), sua ida para o norte (em meados de 1991), até a volta ao Brasil (em outubro de 1991). Cada capítulo tem, além das fotografias e legendas curtas, um pequeno relato em tom casual, lembrando um diário.

A minha segunda lembrança com este volume é da minha amiga A que também me presenteou, quando ainda trabalhávamos juntos em 2012, com uma credencial para um evento técnico muito bacana no qual, como um bônus, Amyr faria a conferência de abertura. E lá fui eu, com meu livrinho na mochila para um auditório com centenas de pessoas. Se eu conseguisse falar com ele, muito bem; se não, paciência.

Durante sua fala, aparentando uma real humildade, ele disse não saber muito bem no que as suas histórias de aventuras poderiam interessar àquele público (grosso modo: um bando de engenheiros superespecializados e mais alguns gatos pingados como eu). Mas suas palavras sobre a importância da estratégia e do planejamento, a necessidade de saber lidar com os imprevistos e de superar desafios foram realmente inspiradoras para mim e, acredito, para muitos dos que estavam ali.

Ao final, Amyr estava disponível no saguão do auditório. Eu superei a timidez e o abordei, elogiando sinceramente a palestra. Ele agradeceu. Então eu perguntei se ele poderia assinar meu livro. Ele foi muito simpático e comentou que As Janelas do Paratii era um livro raro (de fato, a edição tinha quase vinte anos, e acho que é o único de seus livros que está esgotado). Acho que meu gesto quebrou o gelo e várias outras pessoas, que até então estavam só ouvindo a conversa, também sacaram livros para que ele assinasse. 🙂

"Para o (nome) com um baita abraço! Amyr set. 11 2012." Além do autógrafo, um desenho que ocupa a folha de rosto e parte da página anterior.

“Para o (nome) com um baita abraço! Amyr set. 11 2012.” Além do autógrafo, um desenho que ocupa a folha de rosto e parte da página anterior.

Isso faz exatos dois anos hoje.

O livro está esgotado na editora, mas pode ser encontrado em sebos.

Para quem se interessou, nesta semana começou em São Paulo uma exposição de fotos de Amyr Klink, e semana que vem haverá uma palestra gratuita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s